Especialidades | Ordem Unida | Pessoas | Ideais | Nós e Amarras | Campos | Civismo | Emblemas | Classes | Camporis | Histórico | Liderança | Acampamento | Cerimônias | Hinos | Ministério Jovem

Mochila

Editar
HistóricoComentários
Tópicos [Mostrar]

Definição

Saco de lona, plástico resistente ou couro que se leva às costas, preso por correias, usado por soldados, viajantes, estudantes, trabalhadores etc., para transportar roupas, objetos de uso pessoal, material escolar, provisões etc.
 

História das Mochilas

Os indígenas americanos (norte, centro e sul-americanos) tinham diversos sistemas de carregar as coisas. As Américas conheceram a roda apenas com a chegada dos europeus. Então, o que não se carregava nas costas de um animal como a lhama (os cavalos também só chegaram com os europeus), se carregava nas costas de alguma pessoa. Carregar as coisas na mão, apenas para objetos leves, o resto os índios penduravam no corpo, em bolsas menores como bornais feitos de couro, de palha, ou mesmo cabaças penduradas, e objetos maiores nas costas ou sobre os ombros, presos por tiras. Em alguns casos, cestos grandes e compridos, ou armações de madeira onde poderia se amarrar os objetos, eram presos às costas por alças presas aos ombros, à cintura, ou mesmo à testa.
 
A mochila só começa a aparecer, nas Américas, junto com o desaparecimento da escravidão. Talvez por isso ela nos transmita essa sensação de liberdade.... aquele que carregas próprias coisas não submete outro a fazê-lo por si. Mas a mochila não surge como conceito representativo da liberdade em abstrato, mas como instrumento da vida prática. Mais especificamente, como instrumento da vida prática dos soldados das Américas.
 
Os teatros de guerra europeus nunca foram muito extensos. As distâncias são pequenas na Europa, que está cortada pro caminhos e estradas "rodáveis" há milhares de anos. Assim, os soldados carregavam muito pouca coisa, normalmente cabendo em bornais. Mas nas guerras das Américas as distâncias percorridas pelos soldados sempre foram muito longas. Assim, as linhas de suprimentos eram mais falhas, e o grau de autonomia dos soldados tinha que ser maior. Por exemplo, na Guerra do Paraguai e na Guerra da Secessão, nos E.U.A., nós já vemos soldados carregando coisas às costas, em bolsas com duas alças, uma pra cada ombro.
 
Posteriormente, na I Guerra Mundial, os soldados já estavam usando, em sua maioria, mochilas.
No imediato pós-guerra (1919 em diante) nós vemos os ex-soldados mantendo essa peça do equipamento militar, e usando-as em viagens, por exemplo. É um período de crescimento do montanhismo, na Europa (podemos remeter a história das escaladas ao século XVIII, mas o fato é que ela só se torna mais popular no século XX), e muitos daqueles que iam às montanhas, na Europa, usavam mochilas. Primeiro as mochilas militares, depois o saco alpino...
 
Durante a II Guerra Mundial a mochila foi intensamente usada, e aí se criou o mito de que a mochila militar é a melhor mochila possível. Pois durante muito tempo isso foi verdade. A produção em alta escala deste artigo para suprir exércitos permitiu alguns refinamentos na época.
No pós-guerra, nos E.U.A., teremos um monte de equipamento militar sem uso, sendo vendido barato, em lojas que eram frequentadas por aqueles que de algum modo frequentavam as florestas e montanhas: lenhadores, por exemplo. Intensifica-se as atividades ao ar livre, o campismo. Nos anos 50, inclusive, surge a necessidade de mochilas maiores do que aquelas usadas por soldados, e as armações progressivamente surgem.
 
Dick Kelty (que seria o fundador da Kelty), em 1952, inspirado nas armações de madeira que alguns índios norte americanos usavam para carregar coisas nas costas, cria a primeira mochila de armação externa. Greg Lowe, fundador da Lowe Alpine, fará a primeira mochila de armação interna apenas em 1967), que ainda está em produção, a trekker (com cerca de 65 litros). Em 1972 foi lançada a lendária Kelty Tioga, provavelmente a melhor mochila de armação externa já feita, e também ainda em produção. Ainda hoje é possível encontrar nas largas e tradicionais trilhas norte-americanas (pacific crest trail, por exemplo) velhas mochilas Kelty ainda em uso, algumas com cerca de 3 décadas de utilização.
 
Mas o pessoal da escalada tinha outras necessidades. Mochilas de armação externa, se por um lado possuem uma capacidade incrível de carga, por outro lado, pelo fato de serem largas e possuírem mais "cantos vivos", engatam muito em galhos e, principalmente, são difíceis de se utilizar em caminhos estreitos entre rochas, além de darem mais trabalho ao serem suspendidas por cordas. No entanto, as mochilas de armação interna acabaram tornando-se mais populares, devido as dificuldades encontradas para a prática de escalada usando mochilas de armação externa. Um outro detalhe ajudou, é muito mais fácil produzir uma mochila de armação interna do que uma mochila de armação externa.
Enquanto a armação externa constitui-se de tubos curvados e soldados (há modelos atuais com armações em plástico e outros polímeros), e diversos conectores entre o corpo da mochila e a armação, nas mochilas de armação interna bastam duas ripas de alumínio, curvadas ou não, devidamente encaixadas verticalmente no costado da mochila, em locais com passadores costurados. Assim, não é de estranhar que tenham se popularizado tanto e tenham se tornado o padrão único em um país como o Brasil.
 
Nos anos 60, com a carência de material produzido aqui, muitos usuários começaram a produzir seu próprio equipamento, que ia de mochilas e barracas a casacos, calças e mesmo botas.... esta é a origem de boa parte das marcas nacionais, grande parte delas concentradas em dois estados que possuem muitas montanhas: Rio de Janeiro e Paraná.
 
Nos anos 90, algumas dessas marcas passaram a terceirizar a produção, produzindo na China, outras continuaram a produzir no Brasil, produtos que se caracterizam pela simplicidade e pela qualidade - simplicidade pode inclusive vir a ser uma característica desejável, se não necessária, em determinados usos.
 
No fim vimos, na história, as três vertentes que movem o desenvolvimento das grandes mochilas: as viagens, as trilhas (o trekking), o montanhismo. E assim, temos três grupos de necessidades a serem satisfeitas por diferentes mochilas que vamos aprender a identificar e escolher.
 

Mochilas de Hidratação

A Mochila de Hidratação, foi inventada na década de 1980 por Roger Fawcett, que na época percebeu que depender apenas de um cantil de água não era o suficiente para mantê-lo hidratado e suportar o clima escaldante do Texas. Pensando em uma solução mais eficiente, ele criou uma mochila usando tecido impermeável e que permitia manter a temperatura da água fresca por mais tempo do que o cantil.
 
Hoje, essas mochilas podem serem encontradas com capacidades até maiores do que 30L (conjunto=mochila + reservatório), e podemos dizer que são produzidas sempre a mesma construção básica: tecido especial, reservatório de água e mangueira. Podem ainda conter ou não um compartimento para carregar alguns utensílios como lanterna, anorak, documentos, celular, um lanche etc.
 
Seu uso é indicado para atividades de trekking, corridas de resistência e ciclismo.
 
As mochilas de hidratação podem apresentar algumas desvantagens:  

Como escolher a mochila de hidratação?

Ao comprar sua mochila de hidratação, leve em conta alguns fatores como: o esporte a ser praticado, a quantidade de carga a ser levada na mochila, o modelo que melhor se adequa a você e o tamanho do reservatório de água necessário.
 
Já para quem tem o hábito de pedalar à noite? Prefira por modelos de mochila com tecidos e materiais refletivos, que aumentam a segurança.
 

Tamanho

Onde você pretende usá-la? Apenas para passeios eventuais com os amigos? Será usada em percursos mais longos e até viagens? Você costuma fazer trilhas longas em locais sem água à disposição? Você quer uma mochila apenas para se hidratar, ou também deseja transportar itens?
 
Levar em consideração esses dados ajudam a definir o tamanho ideal da mochila de hidratação e do reservatório de água. Na maior parte das vezes, trilhas de curta duração comportam muito bem mochilas com capacidade entre 1,5L a 2L.
 

Reservatório & Mangueira

Os modelos de mochila de hidratação também podem contar com vários tipos de reservatórios. É IMPORTANTE ficar atento ao tipo de abertura e fechamento, que deve ser simples e facilitar a limpeza, melhorando a conservação do item. As que têm bocas maiores são mais fáceis de serem higienizadas.
 
Outro ponto que merece cuidado é o tipo de válvula. As mais indicadas são as que possuem uma espécie de torneira, evitando vazamentos indesejados que podem comprometer o seu "passeio".
 
A direção da mangueira também merece cuidado. Os modelos mais simples costumam ter mangueiras que passam apenas por um lado do ombro. O melhor são os que permitem rotear pelos dois lados, favorecendo o conforto e o uso.
 

Conforto

Como dito anteriormente, o costado é um ponto importante na construção da mochila e por isso vale à pena se atentar a esse detalhe.
Se for possível, tente experimentar a mochila antes da compra (nem que seja apenas vestir uma mochila em uma loja física para depois garantir descontos em compras virtuais).
 
Analise o tipo de tecido usado, se ele se preocupa em gerar uma ventilação para as costas do ciclista, se consegue manter a água em
temperatura agradável, se as alças possuem ou não presilhas e também se são confortáveis e se ajustam as suas costas.
 
Outra dica valiosa é sempre preferir pelos modelos com faixa peitoral e abdominal. Essas faixas deixam a mochila mais presa ao corpo, evitando o desequilíbrio.
 
Mulheres, ATENÇÃO: a dica especial é dar preferência aos modelos com alças curvas ou até triangulares, que ajudam a distribuir melhor o peso.
 
A forma de usar a mochila de hidratação precisa ser considerada, evitando desconfortos. *A dica é colocar os itens mais pesados na parte debaixo*, e os mais leves em cima, favorecendo a distribuição do peso nas costas.
 
A altura também conta na hora de oferecer conforto. *O indicado é deixá-la sempre no meio das costas*, de maneira centralizada. Para saber se ela está adequada, basta verificar se o tamanho que sobra das alças está semelhante.
 
Para quem vai fazer passeios ou viagens mais longas, pode ser recomendado aliar o uso da mochila de hidratação + caramanholas com isotônicos ou até maltodextrina. Essa prática evita a desidratação e oferece mais conforto.
 

Resistência

É interessante que a mochila tenha seja fabricada com um material resistente para que você possa utilizá-la sem acabar ficando na mão por um rasgo na mochila no meio da atividade.
 

Compartimentos & Bolsos

Verifique se a mochila tem boa quantidade de pequenos bolsos frontais, laterais(ou na barrigueira) e nas alças e NÃO apenas bolsos grandes. Isso porque na mochila pode caber todo o alimento que você precisa em um único bolso, mas durante sua prova ou treino você não poderá parar para ficar procurando do que precisa, deve saber exatamente o lugar de cada item para que não precise interromper o que está fazendo.
 
Use bolsos frontais pequenos para separar as comidas na parte da frente da mochila. Nas laterais, coloque estoques de barrinhas de cereais e repelente e/ou protetor solar, por exemplo. E nos bolsos de traz leve os itens obrigatórios da atividade: bloco de notas, celular, medicamentos, etc.
 
Algo que é MUITO IMPORTANTE, é que o compartimento do reservatório do camelback, seja separado do compartimento principal da mochila, seja por algum tipo de divisória interna ou compartimento independentes, pois isto tem o objetivo de prevenir furos e rasgos no seu reservatório de água pela manipulação da mochila quando estas dividem mesmo compartimento de seus objetos durante o percurso. Se o compartimento for único, use apenas para uma finalidade ou reservatório de água ou porta objetos, verifique a sua necessidade.
 

Ajustes:

Quanto mais ajustes melhor, é claro! Você pode arrumar o tamanho da alça, pode prender a mochila bem ao corpo, ajuda no conforto durante a corrida/pedalada. Quanto mais próxima do corpo e mais balanceado o peso, melhor o conforto.
 
 

Manutenção: Desmontagem, Limpeza do reservatório e Substituição

Aprenda como fazer a desmontagem e limpeza de seu Conjunto de Hidratação.


 
 

Mochilas de Ataque (de 10 a 45 litros)

Mochilas de ataque costumam não ser muito grandes. é normal que tenham em torno de 20 litros de volume, e, em alguns casos podem chegar a uns 40 litros. não servem para levar muito peso, pois nessas mochilas o peso está concentrado nas alças, e a fita abdominal é apenas uma fita de estabilização da mochila para que ela não balance nas costas durante uma escalada.
As mochilas de ataque, se originam das mochilas pequenas utilizadas em ataques ao cume, em expedições mais longas, onde se estabelece um acampamento próximo ao cume e se ataca o cume dali, levando o mínimo de peso possível, como um pouco de água, alguma comida, um agasalho extra e eventualmente material de escalada.
Muitas mochilas de ataque possuem daisy chains e loops para acomodar mosquetões e piquetas. Daisy chain é uma fita costurada de modo a criar uma série de alças, para que ali sejam presos mosquetões que estão sendo levados pelo alpinista. E loops são alças circulares, na base da mochila, normalmente, para se encaixar uma piqueta. Uma piqueta é uma espécie de mini-picareta usada em escalada em gelo.
 
Dicas:
  1. Procure uma com vários bolsos. É uma forma de guardar óculos escuros, cameras e mapas longe da comida e da água.
  2. As melhores mochilas são aquelas que possuem um painel nas costas, para proteger suas costas e deixar algum espaço livre para a ventilação.
  3. Mochilas de hidratação são uma alternativa cada vez mais popular para um dia de caminhada ou pedalada.
  4. Alças acolchoadas não são muito comuns mas bastante úteis se a mochila estiver com o peso um pouco acima do indicado.
  5. Capa de chuva embutida é sempre uma ótima opção!
  6. É claro que há a opção de cor, formato etc. Mas isso é com você.
 
ATENÇÃO:Mochilas escolares podem serem usadas como substituto a mochilas de ataque, dependendo da atividade a ser realizada, do percurso, da qualidade do material, da carga e de uma boa postura adotada pelo usuário.

Cuidados na escolha de mochilas escolares

Atualmente a carga que os estudantes levam para a escola não é pequena, são vários livros, cadernos, estojos, lanche, além de brinquedos e outros objetos pessoais. Se este peso não for bem distribuído, podem provocar problemas na coluna devido a uma postura incorreta.
 
Geralmente quando a mochila está pesada ou fora da altura ideal, a tendência natural é inclinar-se para frente - Esta postura adotada durante a fase de desenvolvimento do corpo pode acabar provocando, ao longo do tempo, alterações estruturais nos ossos sendo causa de diversos problemas relacionados a coluna e articulações - como o corpo das crianças e adolescentes é mais adaptável a mudanças do que os adultos, uma regulagem inadequada, carga excessiva ou carregada em posição incorreta, provocam alterações posturais rapidamente podendo serem, inclusive, permanentes. Dentre estes problemas podemos destacar a hipercifose torácica (popular corcunda, com ombros projetados para frente) e a escoliose postural (coluna em formato de "S", com diferença de altura entre os ombros), ocasionada quando o aluno deixa a mochila apoiada em apenas um dos lados do ombro. O abuso no peso também pode acarretar, com o tempo, dor no pescoço, nos ombros e de cabeça, distensões musculares, além de problemas nos joelhos, quadril e pés. Por isso, é fundamental que os pais fiquem atentos à postura de seus filhos e à regulagem das mochilas.

Nota: Veja vídeo sobre Desvios Posturais - https://www.youtube.com/playlist?list=PL_1Ve6QuY5dw5kPeBqWTIRacki7l0NtI4]]


Devido aos problemas ocasionados pelo excesso de peso e/ou o uso inadequado da mochila, é que estados como Minas Gerais e Rio Grande do Sul, por exemplo, criaram iniciativas que culminaram com a criação de leis próprias, como a promulgação da LEI Nº 12.027, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2003 que Dispõe sobre o peso máximo tolerável do material escolar transportado por alunos da educação infantil e do ensino fundamental da rede pública do Estado do Rio Grande do Sul. Também, hoje, tem sido discutida a aplicação de uma lei similar para todo o território brasileiro.

 

Como optar pela mochila escolar certa?

  1. Dê preferência a mochilas com duas alças, largas e acolchoadas. A distância entre as duas alças deve ser menor que a largura total dos ombros para diminuir o esforço na coluna torácica.
  2. O fundo da mochila não deve ficar a mais que 10 cm abaixo da altura do umbigo (centro de gravidade corporal) para evitar o aumento do esforço na manutenção da postura ereta. Esse é um hábito comum entre as crianças.
  3. Se a criança tem que alterar a postura ereta normal para carregar a mochila é sinal de que ela está com peso demais ou a mochila está baixa demais, ou pior, as duas coisas.
  4. O peso a carregar não deve passar de 10% do peso da criança. Assim, se uma criança pesa 40 quilos, não deve levar mais que quatro quilos.
  5. Não são recomendadas bolsas com uma só alça, como as dos carteiros, ou mesmo carregar a mochila com apenas uma das alças, como muitos jovens gostam de fazer.
  6. A forma de arrumar os materiais na mochila pode ajudar. As coisas mais pesadas devem ficar junto às costas da criança, na abertura principal da mochila, e não nos bolsos externos.
  7. Uma boa postura é fundamental e é apenas uma questão de hábito. A cabeça deve se manter erguida e ao caminhar não se deve ficar olhando para baixo. É possível perceber os obstáculos do chão sem olhar diretamente para eles. Os ombros devem estar para trás.
  8. Se ainda assim houver necessidade de carregar peso excessivo, recomenda-se o uso de mochilas com rodinhas.

 

Mochilas Cargueiras (entre 50 e 90 litros)

Na sua mochila cargueira irá conter a sua casa por onde quer que você vá . Seja você mochileiro, escalador, caroneiro, campista , montanhista ou qualquer outra atividade outdoor que necessite carregar um "mundo de coisas" nas costas, a sua mochila cargueira irá lhe acompanhar. O importante é estabelecer os parâmetros que definem uma mochila cargueira.
 
Mochila "cargueira" é toda e qualquer mochila com capacidade de carga entre 55 a 90 litros. Existem especialistas e teóricos que definem a mochila cargueira para até mesmo uma capacidade menor que a citada acima. Porém apesar da discordância, o limite acima é a amplitude largamente utilizada pela indústria de mochilas. Abaixo desta capacidade são mochilas de ataque (de 15 a 40 litros).
 
Dicas Importantes:
  1. Mais do que a quantidade de equipamento que você pretende carregar, você precisa saber o que aguenta carregar! Lembre-se que uma pessoa acostumada a trilhas e que esteja bem preparada fisicamente deverá carregar, no máximo, 1/3 de seu peso. Pouco preparo? Diminua para 1/4. Sem preparo ou nenhuma experiência? 1/5, e não se fala mais nisso! Mesmo assim, algumas coisas precisam entrar na mochila, se você pretende passar uma noite ao ar livre, ou várias. Barraca, saco de dormir, roupas, comida, fogareiro, panelas etc.
  2. Normalmente, o tecido usado para fazer as mochilas é náilon ou lona de náilon. Costumam ser tratados para repelir a água, mas não são impermeabilizados. Cuide-se durante chuvas, pois elas podem encharcar o seu equipamento.
  3. Procure mochilas que sejam do seu tamanho ou que tenham regulagens e ajustes nas costas, para adequar a distância entre os ombros e os quadris.
  4. Alças, barrigueira e costas acolchoadas são fundamentais. Você carregará muito peso por longas horas e precisa usar algo confortável.
  5. Enchimento das alças, costas e barrigueira feitos com espumas firmes, densas, apoiam melhores. Espumas de densidades mais suaves acabam sendo mais macias mas, também, podem ser menos confortáveis depois de longas horas.
  6. Bolsinhos, capa de chuva embutida e fitas para você comprimir e guardar material do lado de fora ajudam a melhorar o seu equilíbrio. #Lembre-se que ao guardar alguma coisa nas laterais das mochilas ou mesmo na parte da frente, como bastões de caminhada, as varetas da barraca, o isolante térmico ou mesmo o sobreteto da barraca, tenha certeza de que a fita está bem firme e que você não corre o risco de perder o equipamento, preso a algum galho de árvore ou simplesmente cair pelo caminho.
  7. A maioria das mochilas cargueiras possui abertura por cima e pela frente, na parte de baixo, facilitando o acesso aos equipamentos situados no fundo da mochila. Compartimentos que separam o fundo do resto podem até ser funcionais, mas não são fundamentais, dependendo da sua forma de usar uma cargueira, também podem complicar bastante a sua vida, na hora de montá-la.
 

Como escolher uma mochila cargueira

As mochilas evoluíram tanto nos últimos anos e existem tantos modelos à nossa disposição, trazemos estas Dicas de Uso para facilitar o seu trabalho, na hora de escolher a que melhor lhe servirá:
 

(A) Tenha em mente qual o tipo de uso dará à sua mochila

 

(B) Como escolher o tamanho?


(B.1) Mochila trekking
Carga
de Conforto
[Quilos(Kg)]
Tamanho
da Mochila
[Litros(L)]
Pernoites
(Nº de noites
dormidas)
Atividade
até 6 15 a 25 0 Hiking
7 a 10 30 a 45 1-2 Trekking
11 a 14 50 a 65 3-5 Trekking
15 a 20 70 a 85 5-7 Trekking
+20 +85 +7 Longos Trekkings
/Expedições
 


 
(B.2) Mochila de viagem
Tamanho
da Mochila
[Litros(L)]
Tempo de viagem
[Nº Dias]
até 40 Final de semana
45 a 55 3-5
50 a 60 6-12
65 a 70 13-18
+70 +18

OBS: O tamanho da sua mochila de viagem vai depender muito do tempo e do destino. Lugares de frio exigem espaços maiores; praia exige espaço para toalha, canga, etc. Viagens urbanas requerem menos espaços.
 

(C) Priorize a qualidade de cada item

 

(D) Escolhendo mochila para trekking: conforto + tipo de carga + tipo de trilha


  1. Para ter o conforto necessário, você tem que conhecer as medidas de seu torso. Para descobrir a medida, pegue uma fita métrica e meça da sétima vértebra (aquela mais protuberante no final de seu pescoço) até o ponto mais baixo de seu quadril, mais ou menos na altura dos ossos da bacia.
  2. As mochilas são presas ao corpo por uma série de tirantes. Alguns passam pelos ombros, outros pelo peito, mas o mais importante é aquele que fica logo acima da cintura. É esse tirante que vai sustentar a maioria do peso durante toda a caminhada. É importante então que você se assegure de que esse tirante, ao estar apoiado logo acima da cintura, não na barriga, esteja confortável, firme e não escorregue.
  3. Tenha paciência. A mochila é um equipamento crítico. Se possível, leve para a loja tudo aquilo que você vai ter que colocar na mochila. Quando definir o modelo que você quer, coloque todos os pertences dentro dela, e ande pela loja por uns 20 minutos (olha só. Se você vai ter que pagar esse mico, aproveite para comprar junto a bota, assim serão 20 minutos só, para escolher bota e mochila.., e provavelmente você vai ficar conhecido na loja).
  4. Não economize. Compre a melhor mochila que você conseguir, desde que ela sirva confortavelmente. Como nas botas, conforto é o atributo mais importante.
  5. Defina sua carga. O que você pretende fazer? Vai passar 2 ou 3 noites na trilha? Vai sair na neve? Vai carregar toda a carga ou terá carregadores? Dependendo da trilha, você poderá usar uma mochila pequena. Ou então uma grande, com acessórios para carregar equipamentos extras. Para o Everest, levei uma de 40 litros, que foi perfeita. Mas havia carregadores levando outros 40 litros...
  6. Considere a trilha. Se você vai caminhar por trilhas bem mantidas, uma mochila com "armação" externa pode ser considerada. Mas se você vai seguir por trilha selvagens ou íngremes, onde o equilíbrio seja crucial, é melhor uma mochila com estrutura interna...
  7. Considere a versatilidade. Se você gosta de fazer trekkings curtos depois que estiver com o acampamento montado, considere uma mochila que tenha opção de separar-se em outra menor. Existem vários modelos que permitem que, separando-se uma parte, você tenha uma mochila menor para uma caminhada leve.
  8. Respeite seu estilo. Se você é daqueles que querem "um lugar para tudo e cada coisa em seu lugar", talvez deva escolher uma mochila com estrutura externa e um monte de bolsos. Se você quiser alcançar sua garrafa d'água durante a caminhada, não vá se frustrar com uma mochila cheia de bolsos inacessíveis.
  9. Planeje com seus parceiros. Se você vai em grupo, verifique os equipamentos que o grupo precisará levar (barraca, fogareiro, comida, etc.), distribua-o e compre a menor mochila possível. Assim não sobra espaço para o monte de porcaria que a turma carrega, sem precisar usar. Sempre vai ter aquele que leva de tudo e não usa metade do que levou!
  10. Pense em hidratar-se. Durante a caminhada, tomar líquidos é essencial. Se você vai fazer como eu, usando um recipiente com um tubo que leva água direto à boca, pense numa mochila que já tenha espaço dedicado para isso. Ou então escolha uma que tenha bolsos especiais para carregar a garrafa d'água ao seu alcance. Nada mais frustrante que ter que tirar a mochila para alcançar isto ou aquilo, no meio da caminhada.
Dicas elaboradas por Luciano Pires
 
Mochila Cargueira: Como escolher - MundoTerra.com.br

 

Principais características a serem observadas na escolha da mochila

Barrigueira:

O peso da mochila deve ser carregado no quadril e não nos ombros, sendo assim escolher uma mochila com a barrigueira fina demais, curta ou mesmo longa demais ou com um ajuste ruim pode arruinar a sua viagem ou trilha. O maior erro é colocar o peso todo nas costas. E como você vai testar? Ao vestir a mochila na loja, principalmente se você for magro(a), peça ao vendedor para enche-la com alguma coisa (sacos de dormir são ótimos pra isso) assim você poderá testar o ajuste da barrigueira e saber se ela fecha bem ou se machuca quando a mochila tem alguma carga. Prenda a barrigueira e solte as alças. Se a mochila despencar pra trás e te levar junto, tá errado! Mochila mal regulada tira o equilíbrio. Ajuste-a para ficar acoplada ao corpo, dessa forma ela não vai "te puxar" para trás. Após regular a barrigueira, ajuste as alças. Lembre que algumas barrigueiras são ajustáveis ao tamanho do quadril de cada indivíduo.
 

Alças e Encosto(Costado) acolchoado:

Por mais que o peso esteja bem distribuído e a barrigueira bem ajustada ainda assim você vai querer ter um bom costado e alças bem acolchoadas. Dois outros fatores são importantes nestes itens, o costado além de bem acolchoado deve ser bem desenhado e com uma confecção que permita as costas do usuário respirar sem maiores problemas. O material usado tanto no acolchoamento das costas quanto das alças deve ser macio para evitar que alguma blusa mais frágil seja danificada pelo atrito entre a alça/costado e a roupa, o que acontece com muitas blusas de dry-fit. Algumas pessoas se sentem mais confortáveis com alças finas e outras com alças largas. Experimente antes de comprar.
 

Armação(Barras de Estabilização nas Costas)

Esse item nem sempre é notado quando olhamos ou mesmo pegamos rapidamente a mochila, mas essas barras de metal "que podem ser acessíveis ou não" são fundamentais para o conforto de quem vai transportar muita carga. As barras mantém a mochila reta e assim evitam que os usuários dobrem de forma incorreta as costas, sobrecarregando a coluna. Essas barras são importantes em qualquer mochila acima dos 40-50l, mochilas sem elas costumam ser muito desconfortáveis.
 

Fita(ou Cinto) peitoral

Fundamental para manter o equilíbrio, principalmente em terrenos acidentados, a fita peitoral ajuda a impedir que a mochila puxe para trás estabilizando a mochila nas costas. Ajuste de forma que não fique nem muito apertado e nem muito solto. Tem mochilas que incorporam uma fita com regulagem na altura do peito para evitar seu balanço excessivo. mas não se esqueça de afrouxá-lo na subida, quando pode ocorrer falta de oxigênio e força. Mulheres com prótese nos seios devem tomar muito cuidado.
 

Fitas de compressão:

São aquelas milhões de fitas que saltam do lado externo. Uma dica: aprenda a usá-las. As fitas de compressão vão mudar sua vida! Por exemplo, se não usar toda a carga da mochila, deixando-a mais vazia, regule as fitas para comprimir e deixar a mochila mais leve e menor. Além disso, são ótimas como apoio para levar bastões de caminhada, isolante térmico, saco de dormir, entre outros equipamentos. Nunca são em excesso, se for transportar a mochila meio vazia ou pretenda reduzir volume elas ajudam a permiti um melhor ajuste da mochila sobre suas costas. Além disso, podem ser um bom lugar para colocar um colchonete isolante térmico, transportar um bastão de trekking, etc
 

Capa de chuva

A capa de chuva pode ser comprada separadamente, mas existem modelos que já vem com capa de chuva embutida, o que é bom, pois estes modelos vem com um compartimento exclusivo só para a capa. Mesmo que escolha por uma cargueira sem esse acessório, reserve algum dinheiro para comprar uma capa de chuva para sua mochila. Além impedir que seus itens dentro da cargueira molhe, serve também para proteger a sua mochila nos bagageiros de trens, ônibus, jipes, etc?, contra substâncias químicas (graxas, óleos, combustíveis), rasgos (provocados pela vegetação ou objetos pontiagudos, como pedras, por exemplo), sujidades e intempéries(exposição a condições climáticas extremas), que podem prejudicar e danificar o tecido e a impermeabilização da sua cargueira. (Antes perder uma capa de chuva do que uma boa cargueira.)
 
Dicas:  

Acessos(Aberturas) & Zíperes

É importante que a mochila disponha de "aberturas" (acessos), além do acesso superior. Por isso verifique a existência de acessos para a parte interna da mochila, possuindo acesso superior fechamento com cordão ajustável, podendo ter um acesso frontal e um inferior. Isso facilita a vida na hora de você precisar alguma coisa na parte interna da mochila, sem precisar "desarmar" a mochila toda para alcançar "aquele item" de que tanto precise no momento e não esperava usá-lo tão cedo.
 
Uma boa dica a quem pensa em comprar qualquer mochila cargueira e que tenha zíperes é verificar se são da marca "YKK". Esta dica serve para identificar se a mochila é de qualidade, ou se foi fabricada no método conhecido popularmente como "xing-ling". O melhor zíper do mercado em qualquer produto é desta marca. Um produto de qualidade superior permite acesso rápido ao conteúdo interno sem necessidade de tirar tudo que tem na mochila para pegar o que precisa.
 
Existem algumas cargueiras em que a tampa tem regulagem de altura, pode também ser destacável(desconectada da mochila), e ainda há casos que pode ser usada como pochete com bolso externo e interno para pequenos objetos.
 

Bolsos, Compartimentos & Divisórias

Assim como os acessos, os compartimentos, divisórias e bolsos em uma mochila devem permitir que os itens armazenados ali possam ser alcançados e localizados com rapidez, sem desarrumar toda a organização da mochila. Porém, tudo que é demais, não é bom. A quantidade excessiva de bolsos pode acabar deformando a estrutura da mochila, e acabará atrapalhando no equilíbrio. Os melhores lugares para os bolsos são nas laterais e na barrigueira.
 
Bolsos laterais quando bem espaçosos são muito mais interessantes que os porta garrafas, principalmente por que em alguns casos é possível carregar em um desses bolsos uma bolsa de água ("camelback"), dispensando o uso das garrafas o que facilita ainda mais a ingestão de água durante o deslocamento. Os bolsos laterais não devem ser muito grandes para que os itens que forem acondicionados ali não interfiram no equilíbrio do usuário.
 
Os "porta garrafas", são aqueles bolsos com abertura geralmente dispostos nas laterais da parte mais inferior da mochila, podendo serem confeccionados em tela. A vantagem de se ter o "porta garrafas", (desde que, preferencialmente não seja de tela) seria o de se ter um espaço extra para acondicionar algum equipamento (como por exemplo, uma capa de chuva ou roupa molhada) que seja compacto e precise ficar em um lugar de fácil acesso para manipular de forma mais rápida caso seja necessário.
 
Divisórias em tela geralmente são frágeis e acabam rasgando-se com facilidade, nestes casos o que você colocaria na divisória coloque em uma necessaire. Se preferir por usar as divisórias em tela que sua mochila possui, prefira por colocar itens que não danificariam a tela como roupas, sacolas e utensílios e equipamentos sem bordas pontiagudas como tablets, celulares, notebook, kit de primeiros socorros em estojos, etc.
 

Compartimento para saco de dormir (Acesso Inferior)

A divisão para o saco de dormir existe na maioria das mochilas cargueiras, contudo em algumas mochilas que chamamos de alpinas essa abertura não existe. Se essa mochila tiver uma abertura frontal grande ela pode não fazer tanta falta, porém se a sua mochila não tiver uma boa abertura frontal e não tiver abertura para o saco de dormir vai ser muito ruim para remover os itens que estão mais no fundo.
 
Na parte de dentro de algumas mochilas a divisão do saco de dormir tem um zíper que permite separar o interior da mochila em duas partes, uma acima da divisão do saco de dormir e a outra sendo a própria área do saco de dormir, coisa muito útil em algumas situações.
 

Marcas

As Marcas devem possuir uma história, um inicio. Essa marca na qual você está de olho, é de que? De uma empresa da area de esportes outdoor? Montanhismo? ou somente uma empresa de equipamentos e nada mais que isso?
Sabe aquelo bordão "não é nenhuma Brastemp" pois então assim como todo produto existem também mochilas, que são uma "Brastemp". Antes de comprar uma mochila entenda porque algumas são tão caras e outras tão baratas. Assim como existe o outro lado da moeda, existem mochilas que são iguais , mas o peso da marca encarece. Veja as marcas a baixo e pesquise.


 
 

Ajuste e Regulagem da Mochila

As cargueiras são mochilas que transportam muito peso por isso mesmo sua mochila deve estar bem regulada, isto fundamental para que o peso na mochila não prejudique sua coluna. Uma boa mochila deve ter ajustes para permitir que ela se adapte ao corpo do usuário, uma mochila com alças e fitas de regulagem fixas pode se transformar em um problema e um grande desconforto durante uma caminhada prolongada. Este é um dos principais itens na hora de escolher uma mochila cargueira. São 4 os ajustes necessários para um conforto ideal:
 
1.Costado regulável(opcional): Alguns costados são moveis e permitem uma regulagem melhor da altura das alças centralizando-a melhor no seu tronco. Esse ajuste é ótimo, porque ele vai fazer a mochila se encaixar melhor no seu corpo, seja lá a sua altura! As alças precisam encontrar seus ombros e a barrigueira, o seu quadril. O costado fará o meio de campo, aproximando ou afastando esses dois importantes ajustes.;
 
2.Ajuste frontal da Barrigueira: Uma barrigueira acolchoada, proporciona um maior conforto e conseguem transferir para os quadris entre 80% e 90% do peso total, então não escolha uma mochila com a barrigueira fina ou longa demais, curta, ou mesmo com um ajuste ruim. Teste a mochila na loja, principalmente se você for magro(a), peça ao vendedor para enche-la com alguma coisa, sacos de dormir são ótima opção pra isso e assim você poderá saber se o ajuste da barrigueira se ajusta bem ou se machuca quando a mochila tem carga. Já as mochilas menores, chamadas de ataque, possuem apenas uma fita como barrigueira e sua função é dar estabilidade;

 
 
3.Tiras estabilizadora da barrigueira(opcional): Além do ajuste frontal da barrigueira uma boa cargueira pode ter também um ajuste entre a barrigueira e a mochila em si, esse ajuste também é importante e ajuda numa boa dispersão do peso. Prenda e ajuste a fita da frente para ficar apertado da maneira que for confortável para você. A fita da parte de trás da barrigueira vai aproximar a mochila do seu corpo.;
 
 
 
 
 
 
4.Tiras das Alças: São as fitas de regulagem que se prendem as alças e permitem que a mochila se adapte a altura do usuário (quando não há costado regulável). As fitas da parte de baixo das alças também são para ajustar o tamanho delas. Ao perceber que a altura (costado) está num tamanho OK, mas as alças estão te apertando, solte um pouco da fita;

 
5.Tiras estabilizadora dos ombros(opcional):As fitas dos ombros são para aproximar a mochila do seu corpo. Você deve sentir a mochila tocando a parte de trás dos seus ombros, mas sua cabeça precisa ter movimento.;
 
 
 
 
 
 
6.Fita peitoral:Fundamental para manter o equilíbrio, evitando o balanço da mochila durante a caminhada e ajuda a impedir que a mochila puxe para trás. Use o ajuste da frente para deixar o ponto apertado no seu peito. E use o ajuste de altura para ajeitar o peitoral acima dos mamilos. No caso das meninas, na linha onde começa os seus seios, pouco abaixo das axilas. Ajuste de forma que não fique nem muito apertado e nem muito solto, encontre o ponto mais confortável para você.

 
Como ajustar(regular) sua mochila
Para regular a mochila muitos fatores são considerados. Elas foram desenhadas e fabricadas sempre levando em conta a resistência dos materiais em sintonia com o movimento do corpo. Todas aquelas fitinhas da sua mochila têm uma razão de ser e existir: foram feitas para proporcionar um ajuste perfeito ao seu corpo. Os materiais empregados e os sistemas de ajuste devem se adequar a estrutura física de cada pessoa. O mais importante é o peso estar sempre apoiando no sentido "para frente" e não inclinado para trás.
 
Ajustando a mochila em 5 passos:
1º- Lembre-se, ajuste a cargueira quando já estiver cheia e arrumada ou coloque uma carga de cerca de 8Kg. Solte todas as tiras da mochila e coloque-a nas costas. A mochila cargueira ideal deve ter o comprimento do seu tronco, dos ombros até o quadril. Se houver costado regulável, vista a mochila e prenda a barrigueira. Se as alças ficarem altas, flutuando no seu ombro, tire a mochila e desça o ajuste das costas;
2º- Posicione o meio da barrigueira, e faça o ajuste frontal (que deve estar sobre os ossos da bacia e não acima, o que poderia acabar apertando o abdômen). É fundamental que o peso fique na barrigueira e não nos ombros;


3º- Ajuste as tiras das alças, mas não muito, pois a maior parte do peso deve ser carregado na cintura. Os pontos de ancoragem das alças (onde elas são conectadas a mochila) devem estar posicionados no meio da escápula;
4º- Feche a tira peitoral até ter uma posição confortável sem comprometer sua respiração.


5º- Se houver, ajuste as tiras estabilizadoras dos ombros e da barrigueira. As tiras estabilizadoras dos ombros servem para trazer o peso da mochila e seu centro de gravidade para o mais próximo possível do corpo. Ajuste-as para otimizar o posicionamento das alças. Para terrenos muito acidentados, é sugerido usá-las mais justa. Para terrenos mais fáceis, pode-se deixá-las um pouco mais solta. Durante a caminhada, verifique de tempos em tempos os ajustes, pois é comum a mochila ir se "assentando" conforme o movimento. Já as tiras estabilizadoras da barrigueira fazem com que a parte inferior da mochila fique o mais próximo possível do corpo;
Agora certifique-se que a mochila está alinhada na altura da coxa, dobrando o joelho em um ângulo de 90º. Se a barrigueira não estiver alinhada adequadamente ela vai dificultar sua movimentação. Refaça os ajustes novamente se necessário.


OBS:A mochila cargueira ideal deve ter o comprimento do seu tronco, que vai do pescoço até o quadril
 
Como colocar e retirar a mochila?

  1. Fique de frente para a mochila;
  2. Posicione uma perna um pouco a frente e semi-flexione os joelhos;
  3. Suspenda a mochila do chão com as 2 mãos, usando a força dos músculos da perna, evitando curvar a coluna;
  4. Apoie a mochila sobre a coxa da perna que estiver a frente;
  5. Passe um braço por uma das alças e em seguida pela outra;
 
 



 
 

Itens secundários na escolha da mochila

Porta Piolet(ou Bastão de Caminhada)

Este item não é de fundamental importância para quem não faz uso de bastões de caminhada ou piolets (aquelas piquetas usadas em escalada na neve/gelo). O uso de piolets pode ser incomum para muita gente, mas os bastões de caminhada são usados por muitos trekkers e acondicioná-los dentro da mochila pode fazer com que eles furem alguma coisa caso não estejam com as pontas protegidas? Portanto pense se este item é ou não importante para você. para quem vai pra alta montanha o porta piolet é um item importante para facilitar o transporte deste equipamento.
 

Alça de Transporte & Apoio das Mãos

Não é um item tão importante mas está em todas as mochilas em geral, vai fazer falta na hora de fazer alguns movimentos durante o transporte da mochila, mas nada que vá lhe prejudicar caso a sua mochila não tenha.
 
As alças de Apoio das Mãos, servem para descanso dos braços e ajudar a estabilizar a mochila nas costas aproximando-a mais do corpo, aliviando parte do peso, principalmente quando a mochila não possui tantos ajustes. Não é um item fundamental já que a opção de ter vai mais da preferência do usuário.
 

Bolso na Barrigueira

Apesar de não ser um item obrigatório, facilita muito quando descobrimos que ter "aqueles" objetos que precisamos ter um acesso rapido e fácil nos bolsos das calças tornam a caminhada mais desconfortável ou dificultam podermos pegá-los quando queremos tendo a mochila as costas, até mesmo porque, dependendo da trilha, nem sempre nos é conveniente retirar a mochila das costas. Objetos que poderíamos carregar nos bolsos da barrigueira por exemplo, seriam a carteira com dinheiro e documentos, dispositivos de telefonia móveis, e instrumentos e mapas de orientação.
 

Bolso frontal ou Tampa destacável (Mochila de Ataque extra)

Algumas mochilas cargueiras tem uma mochila ou bolsa extra acopladas a ela, que pode ser removida e usada separadamente. Não são todas que tem, mas sem dúvidas é um diferencial que ajuda muito, apesar de não ser extremamente necessário.
Existem ainda algumas dessas "mochilas de ataque" que são compatíveis com refil de hidratação, tornando possível usá-las como mochilas de hidratação. Outras podem se transformar em pochetes ou "necessaires"
O legal desse item é que dependendo do tamanho, você pode substituir ela pela mochila de ataque, que é sempre muito útil para usar durante o dia pelo destino. Ter uma dessas acoplada evita o volume extra que uma mochila de ataque ocuparia dentro do mochilão.
 

Compartimento interno para Camelback

São destinados a guardar as bolsas de hidratação. Geralmente ficam próximo às costas das mochilas. Na maioria das vezes são acessados pelo compartimento principal, no entanto alguns modelos tem acesso por fora, o que facilita o reabastecimento sem precisar de tirar a carga.
 

Tela de Ventilação

Outro item importante na lista de como escolher a mochila cargueira é a respirabilidade do encosto. É importante que o material seja respirável, podendo ser poroso ou tipo redinhas. Eles ajudam a ventilar melhor o costado, reduzindo a transpiração e melhorando o conforto. As mais modernas vem com uma ?telinha? que separa o encosto da mochila das costas. Elas são boas para caminhadas, montanhismo e viagens que exigem esforço físico. A tela evita o contato do suor do corpo com o tecido da mochila. A escolha deste item é mais uma questão de preferências e necessidades de cada um. Uma alternativa é optar por mochilas com revestimento /dry system/, uma tecnologia que absorve o suor e facilita a ventilação.
 

Modelo feminino

Um fator a ser levado em consideração pelas mulheres, é escolher um modelo feminino, já que eles são preparados para a anatomia da mulher. Os modelos de mochila de viagem feminina possuem tamanhos diferentes, com espaço menor entre as alças e a barrigueira, respeitando o fato de que o tronco feminino é menor que o dos rapazes.
Outra característica muito importante que você deve perceber numa mochila para mulher, é que as alças devem ser mais estreitas e maleáveis para não machucar os seios.
A barrigueira também precisa ser mais maleável, já que nosso quadril é mais largo que o dos meninos. Além disso, uma barrigueira muito larga vai pressionar a região do seu útero. Imagina isso no pré-menstrual?
 
 
As diferenças entre "mochilas femininas" x "mochilas unissex", são:
  1. Barrigueira (Cinturão) mais acolchoada, própria para o quadril feminino;
  2. Fita peitoral acima da altura do peito (ou regulável) para não machucar;
  3. Alças mais estreitas e maleaveis para não machcar os seios;
  4. Fácil regulagem;
 
Pesquise! Experimente! Se conheça!
  1. Quando for comprar uma mochila, procure enche-la com itens da loja para dar volume e peso, pois você precisará que ela esteja pesada o suficiente para observar se a barrigueira está confortável ou não em você;
  2. Na prova, tente cruzar os braços, se machucar os seios, dispense o modelo;
  3. Se seus seios são grandes ou espalhados, procure por alças mais finas e maleáveis possíveis;
  4. Se você baixinha, prefira mochilas unissex que possuem costado (ou encosto) e use os ajustes mais baixos para diminuir o ?tronco? da mochila.
  5. Se seus ombros são largos, pode optar pelas mochilas unissex com mais tranquilidade.
 
Deuter, Curtlo e Quechua são empresas que produzem e vendem modelos femininos no Brasil.

 

Manutenção de Mochilas

Apesar de serem feitas para aguentar cargas pesadas e trabalho duro, de vez em quando elas também se sujam e precisam de um cuidado especial. Pensando nisso, decidimos disponibilizar um Dicas de Uso sobre a manutenção e o armazenamento de mochilas, para que elas durem muito mais, sem perder a eficiência.
 
Antes de falar sobre manutenção, vale uma dica sobre como fazê-la se adaptar ao seu corpo. É bastante comum vermos caminhantes com mochilas desengonçadas jogadas sobre o corpo, como se esse fosse o melhor jeito de vesti-las. Sim! Se veste uma mochila, como vestimos roupas e, quanto mais ela se adequar ao nosso corpo, melhor será para transportá-la.
 
Por isso, quando for colocar a barrigueira, ela deverá estar exatamente no meio dos seus quadris. Não é na cintura nem onde termina a sua calça? Na verdade, é alguns centímetros para baixo, no meio mesmo do quadril. E as alças da mochila devem acompanhar esta distância, regule-a para que ela permita que a barrigueira fique na posição correta. Mochila regulada? Hora de cuidá-la?
 

Cuidados de Manutenção:

  1. Cada vez que usá-la, limpe-a com uma escovinha seca. Não esqueça de abrir todo e qualquer bolso e cantinho da mochila, para ter certeza de que tirou areia, pó, restos de comida etc.
  2. Se precisar, limpe por dentro com uma esponja úmida e um sabão neutro. Deixe secá-la totalmente antes de guardar.
  3. Se a sujeira não for muito pesada, apenas enxagüe-a, com água fria e uma esponja, dentro de um tanque mas sem sabão. Certifique-se que a espuma usada nas alças, barrigueira e nas costas são de células fechadas. Do contrário, encharcá-las poderá fazer com que sequem fora do formato.
  4. Nunca coloque sua mochila em máquina de lavar.
  5. Não lave a seco! A química usada poderá danificar sua mochila?
  6. Os tecidos das mochilas costumam ser cobertos por uma resina que pode sair. Não deixe-a de molho em água com sabão.
  7. Enxague sempre e bastante, para não deixar resíduo de sabão.
  8. Deixe secar sempre à sombra, pendurada. Nunca use secadoras.
  9. Sempre guarde-a em locais secos e arejados. E, de preferência, longe da luz do sol.
  10. Não esqueça que tanto o mofo quanto o sol são grandes inimigos do tecido e poderão danificá-la em pouco tempo.
  11. Ao levantar uma mochila pesada, pegue-a pelo menos por dois pontos, para não forçar demais um só.
  12. Procure não apertar demais as fitas de compressão, para não causar estresse desnecessário nas costuras.
  13. "Queimaduras" de sol são prejudiciais também aos tecidos de suas mochilas. Os raios ultravioletas desbotam e tornam o náilon mais fraco.
  14. Procure sempre usar uma capa de mochila, mesmo que não esteja chovendo. Ela previne de pequenos rasgos feitos pela vegetação, da sujeira e até mesmo da chuva!
  15. Lembre-se que nenhuma mochila é impermeável ? elas são à prova d?água, no máximo.
  16. Procure deixar as fivelas fechadas quando não a estiver usando, para não pisar nelas e, desta forma, quebrá-las.
  17. Sempre inspecione os pontos de estresse: barrigueira, estabilizadores e alças. Se isto não estiver funcionando muito bem ou quebrar no meio do caminho, você não ? conseguirá carregar sua mochila!
  18. Se precisar reparar alguma costura, use linhas extra resistentes e agulhas grossas. Depois, passe algumas camadas de selante de costuras (Seam Sealer da Coghlan's, ref.). Isto irá impermeabilizar e deixará toda a costura mais resistente. Se as pontas das fitas de náilon estiverem desfiadas, conserte-as esquentando com um isqueiro ou fósforo.
  19. Faça uma mochila perfeita: não deixe objetos pontudos nem cortantes, como fogareiros e speck da barraca, marcarem o tecido nem danificarem o que estiver à sua volta!
  20. Procure não guardar comida. Dependendo de onde você irá acampar, pequenos roedores poderão fazer uma visita noturna, atraídos pelo cheiro que vem de dentro da mochila, e farão quase qualquer coisa para chegar até lá! Inclusive roer o tecido?
 

Cuidados com os zíperes:

  1. Mantenha-o sempre limpo e longe da sujeira.
  2. De vez em quando, passe silicone.
  3. Principalmente após usá-la perto do mar ou da maresia, tenha certeza de limpá-lo muito bem. A maresia e a água salgada corrói os cursores e destrói o zíper em pouco tempo.
  4. Mantenha a costura ?aparada?, com os fios sempre rentes à peça, para não prender seu zíper?
  5. Troque-o ou conserte no menor sinal de fraqueza. Afinal, você não quer ver seus pertences serem espalhados por metros e metros de trilhas, não?
 

Organização

Saber arrumar bem uma mochila é uma arte. Mais do que isso, saber regular e tê-la perfeitamente ajustada ao corpo é fundamental. Afinal, ela faz parte de você e é lá que serão carregados tudo o que for necessário para garantir conforto e segurança em uma caminhada ou acampamento, principalmente quando a atividade leva vários dias.
 
A escolha da mochila, seu tamanho, a arrumação e a regulagem são vitais para o seu conforto e devem ser tratados com atenção. Não é apenas encher a mochila e jogá-la nas costas.
Nada pior que horas intermináveis de equipamentos mal colocados, espetando as costas ou causando desequilíbrio durante uma atividade.
 
Mais do que isso, um ajuste mal feito e lá se foi o peso todo para os ombros, ao invés dos quadris, bem mais preparados para carregá-lo. Algumas dicas são básicas e funcionam mesmo para quem vai viajar no final de semana para a casa de praia, mas não dispensa o uso da mochila. Confira a seguir.
 
Dicas Importantes:
  1. Selecione o inventário - Escolha bem o que levar e escolha somente o necessário. Procure por itens e roupas, que de preferência, possam ter mais usos em situações e oportunidades diferentes, como pro exemplo, usar uma capa de chuva que vá servir para enfrentar a chuva, ou vento ou ainda servir de abrigo temporário, isso ajudar a reduzir o uso da carga da mochila com roupas volumosas para o frio. Saiba como distribuir a carga da mochila para não sofrer durante o percurso.
  2. Planeje lavar as roupas - Dependendo do tempo de viagem/acampamento, e do tipo de clima para onde esteja indo, você deve tirar um tempo para lavar suas roupas, principalmente as roupas íntimas e meias que serão as que você poderá precisar trocar com maior frequência.
  3. Enrole suas roupas - Além de dobrá-las direitinho, enrole-as depois, uma a uma, para facilitar na hora de acondicioná-las dentro da mochila. Desta forma, elas amassam menos também!
  4. Guarde tudo dentro de saco plástico - Esta dica funciona bem no Brasil e em lugares úmidos, já que não há nada mais desagradável do que roupa molhada no final do dia. Pior ainda se isto acontecer com a roupa limpa que deveria estar seca e quentinha. Não se esqueça de verificar se os sacos não possuem furos, pois um temporal não perdoa nem mesmo os menorezinhos. E procure separar em embalagens menores ao invés de usar um grande saco para tudo.
  5. Preencha os cantos - A mochila ideal será montada não apenas por dentro mas, também, por fora. Ou seja, é fundamental que você, ao preenchê-la, cheque pelo lado de fora se alguma parte do tecido está frouxa, sinal de lugar vazio e, portanto, mau uso da mesma. O ideal é que ela fique totalmente esticada, com roupas, equipamentos, fogareiro e comidas preenchendo-a inteiramente.
  6. Barraca - Se tiver barraca e precisar colocar dentro da mochila, divida-a em duas e coloque cada parte de um lado da mochila.
  7. Coisas que devem estar à mão - Termine a arrumação de sua mochila com as comidas que, além de pesadas deverão ser usadas logo no primeiro dia. Deixe o lanche do dia, anorak e a água à mão, além de outras coisas que se usam com muita frequência e em momentos que, geralmente, não temos muito tempo a perder.
 
O que colocar em cada parte da mochila cargueira
  1. Teto da mochila: O teto da mochila é onde fica aquele ziper superior, em cima de tudo. Neste compartimento devemos levar objetos leves. Eu particularmente coloco a capa da mochila, lanterna e clorin.
  2. Tampa telescópica (tampa superior): Aqui também devem ir itens leves como carteira, óculos, gps, mapas, etc. Você não vai querer a tampa da sua cargueira pesada.
  3. Bolsos laterais: Nesses bolsos colocamos as coisas que precisaremos pegar com mais frequência como barrinhas, chocolate, pazinha, pilhas ou ainda, que é meu caso, eu uso um dos bolsos para colocar o camelbak. Algumas mochilas já vem com a saída h2O nos bolsos laterais e outra dentro da mochila.
  4. Corpo principal: Nesse compartimento vão as roupas, itens de cozinha, saco de dormir, isolante, etc. Os itens mais pesados mais
abaixo (cozinha e saco de dormir), perto das costas coloco meu isolante dobrado de forma a encaixar dentro da mochila e mais acima as roupas, que é mais leve, ou pelo menos deveria ser.
  1. Bolso inferior: No bolso inferior devemos colocar o que temos de mais pesado, ou seja, barraca, roupa suja ou molhada, ou caso seu saco de dormir seja muito pesado, ele também deverá ir na parte inferior.
 
IMPORTANTE: Leve tudo dentro da mochila. Vai ter trekking que se tiver isolante ou barraca para fora você chegará sem eles no destino.
 

Como Distribuir a Carga da Mochila:


Trilhas em Terrenos Fáceis

  1. Trilhas sem inclinação e com pouca ou nenhuma dificuldade para transpor obstáculos, como bosques sem relevo (plano) e áreas descampados com pouca vegetação.
  2. Coloque o material pesado o mais alto possível e perto das costas, de forma a manter o centro de gravidade da carga na altura dos ombros.

Trilhas em Terrenos Difícieis

  1. Trilhas em terrenos acidentados, trilhas em mata e escaladas.
  2. Quando a trilha exigir movimentos como passos altos, pulos, agachamentos e balanços laterais, o centro de gravidade deve ser baixado para a altura do meio das costas junto ao corpo. Uma mochila grande, com centro de gravidade alto, pode derrubar seu dono durante um agachamento, por isso quanto maior for a dificuldade do terreno, baixe o centro de gravidade ainda mais e o mantenha junto ao "costado", só não coloque o material pesado abaixo da linha da cintura, pois quem sustentará a maior parte da força será a "barrigueira". Além disso, a colocação do material mais pesado no lugar certo também facilita a operação de colocar e tirar a mochila sem ajuda.

Centro de Gravidade:

Quando o centro de gravidade é colocado na parte inferior da mochila, longe do centro de gravidade do corpo, o peso da mochila força para baixo e o corpo está constantemente lutando contra o peso da mochila. As alças e os ombros trabalham mais, podendo trazer problemas de coluna. Em terrenos difíceis, que exigem um bom equilíbrio isso pode levar a um risco elevado.
 

 

Peso ideal da carga

Não existe um consenso, quanto a carga máxima utilizada para um adulto, apenas uma orientação do que seria adequado a cada tipo diferente de pessoa. Deve sempre levar em conta as diversas variantes que podem influenciar no peso máximo de carga, como por exemplo, a distância, tipo de terreno, quantidade de dias e seu preparo físico.
Preparo Físico Carga Máx. em relação
ao próprio peso
Nenhum até 10%
Razoável até 17%
Bom até 25%
Ótimo até 33%

 


Video Dicas de como organizar a mochila e dobrar as roupas para viagem.

  1. Como arrumar a mochila de viagem - Deuter Transit 50L - https://www.youtube.com/watch?v=E8nKGhXBTAI
  2. Dobrar Roupas Super Compactadas - Dicas Outdoor - https://youtu.be/iLfgte6vo_Y
  3. Como consigo viajar de Mochila - https://www.youtube.com/watch?v=PcKQRIj4_EM
  4. Como fazer a Mala (Mochila) Básica - https://www.youtube.com/watch?v=q5kGGTKPlA4
  5. Como dobrar roupas dos meninos - https://www.youtube.com/watch?v=nmJ3gEiKE0U
  6. Como dobrar camisetas em 2 segundos - https://www.youtube.com/watch?v=QEDuhrVx9cQ
  7. Como dobrar roupas sem amassar(feminina) - https://www.youtube.com/watch?v=rf1a9UHlaUI
  8. Olha essa mulher dobrando roupas - Dica de arrumar mala para viagem - https://www.youtube.com/watch?v=MsAKlnJMAm4


Leitura sugerida:
  1. O livro de Aventura do Excursionista Decidido - Autor: Sergio Beck
  2. Dicas de como preparar o seu mochilao - "MALA de AVENTURAS"
 
 
 


Referências

  1. Michaelis Moderno Dicionário da Língua Portuguesa - Online - http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=mochila
  2. Trilhas & Rumos - https://trilhaserumos.com.br/
  3. Mochilas de hidratação: o guia completo para tirar todas as suas dúvidas! - https://ateondedeuprairdebicicleta.com.br/mochila-de-hidratacao/
  4. Como escolher sua mochila de hidratação. - https://www.ativo.com/experts/como-escolher-a-sua-mochila-de-hidratacao/
  5. Mochila de hidratação: auxílio para quem percorre longas distâncias! - http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/equipamentos/guia/mochila-de-hidratacao-auxilio-para-quem-percorre-longas-distancias.html
  6. Mochila de Hidratação: dicas essenciais para escolher a mochila certa! - http://www.trekkingrs.com/mochila-de-hidratacao-como-escolher/
  7. Mochileiros.com - https://www.mochileiros.com/topic/3413-como-comprar-uma-mochila-cargueira/
  8. Blog de Viagem - http://instintoviajante.com/mochila-cargueira-como-escolher-o-mochilao/
  9. Revista Blog de Escalada - http://blogdescalada.com/como-escolher-uma-mochila-cargueira/
  10. Olhos de Turista - https://olhosdeturista.com.br/como-escolher-a-mochila-cargueira/
  11. Eu Vou de Mochila - http://www.euvoudemochila.com.br/2010/06/dicas-na-hora-de-comprar-a-mochila-cargueira/
  12. Trekking Brasil - https://www.trekkingbrasil.com/diferenciais-na-escolha-de-uma-mochila-cargueira/
  13. Seu Mochilao - https://www.seumochilao.com.br/mochila-de-ataque-trekking-viagem/
  14. Global Exchange - O portal de intercâmbio - http://www.globalexchange.com.br/artigo.asp?txtid=224
  15. Desbrave o Mundo - https://desbraveomundo.com/blog/tudo-o-que-voce-precisa-saber-antes-de-adquirir-sua-primeira-mochila/
  16. Uma Sul Americana - https://umasulamericana.com
  17. Adrena On-line - Mochila DEUTER Act Trail 30 - http://adrenaonline.com.br/index.php/gr/mochilas/day-pack-uso-urbano/mochila-deuter-act-trail-30.html
  18. Cantinho da Unidade - http://cantinhodaunidade.com.br/mochilas-parte-3/
  19. RAÍZES DO MUNDO - http://raizesdomundo.com/2013/12/22/escolher-melhor-mochila-para-viajar/
  20. MELEVATRIP - https://melevatrip.com/
  21. MALA de AVENTURAS - http://maladeaventuras.com/2015/05/como-escolher-a-mochila-perfeita-para-o-seu-mochilao/
  22. Equinox Equipamentos Eportivos - http://equinox.com.br/blog/como-arrumar-sua-mochila-cargueira/
  23. Alta Montanha - http://altamontanha.com/como-escolher-uma-mochila/
  24. DICAS DO ALBERTO LARJ MATRILHAS - https://albertolarjmatrilhas.wordpress.com/2017/04/16/mochila-cargueira-ou-de-trekking/
  25. TRILHE - Garantindo a Liberdade - http://trilhegal.blogspot.com.br/p/o-que-e-e-uma-mochila-diferenciada-que.html
  26. A Montanhista - http://www.amontanhista.com.br/artigos/mochila-cargueira/
  27. Canal Sobrevivencialismo - https://www.youtube.com/channel/UClQfWNWk9UsUj317ce5FtXg

 

0 Comentários

É necessário estar logado para comentar!
Especialidades | Ordem Unida | Pessoas | Ideais | Nós e Amarras | Campos | Civismo | Emblemas | Classes | Camporis | Histórico | Liderança | Acampamento | Cerimônias | Hinos | Ministério Jovem
Ministério dos Desbravadores e Aventureiros - WIKI
Entre em contato: contato@mda.wiki.br